terça-feira, dezembro 19, 2006

Confirmações



Demorei a postar novamente, mesmo não querendo, não tive como, cuidar de uma casa sozinha com duas meninas levadas como as minhas é realmente para não ter tempo mesmo. Mas nessa semana que parecia não acabar nunca, confirmou o que escrevi na primeira postagem, sou uma pessoa muito sozinha, claro que tive uma ajuda valiosíssima do pai delas, se mostrou um grande pai e um grande amigo também. Ele me passa a sensação de apoio, isso é muito reconfortante na minha situação, mas voltando a parte ruim, tenho uma família numerosa, alguns "amigos" se assim posso chamá-los, NINGUÉM apareceu para perguntar se precisava de ajuda, e se apareceu e fiz questão de não atender, pois me ligou numa sexta feira, depois que passei a semana inteira na maior luta, para lembrar daquela farrinha que eu fazia sempre que minha mãe viajava. Bom lembram de mim quando o assunto é eu me matar para dá festinha para agradar. Meus tios e primos que só aparecem na hora de me criticar, de colocar o dedo na minha cara e me jogar no chão. Fiquei muito triste e decepcionada mas me senti auto suficiente também pois, apesar de ficar muito cansada e com os braços dormentes, consegui levar tudo numa boa, talvez uma boa experiência para quem tá muito afim de levantar vôo e o mais ironico de tudo isso, foi minha mãe chegar e fazer tão pouco caso com tudo na seguinte e velha frase: " Quem mandou ter filho agora..." Bom, muitos não acreditam mas não foi planejado, quer saber??? FODA-SE!!! São lindas, minhas paixões, por elas sou capaz de tudo, até mesmo de voltar a ser feliz!!!

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Esforce-se


Esforce-se para ter Prazer.

por Benjamin Teixeira.


Esforce-se para ter prazer. A dor compõe a parte preguiçosa da vida. É fácil sofrer: é só relaxar, que o tempo se encarrega de conduzir tudo ao caos e à morte. O segundo princípio da termodinâmica, a entropia, então, atua vitoriosa, levando tudo a uma desordem crescente e acachapante.

Há coisas mais dispendiosas e dolorosas que frustração e fracasso? E o que se deve fazer para atingir a não-realização de um ideal senão apenas descansar, adiar, deixar passar... Procrastinação, preguiça, desânimo, covardia: um quarteto diabólico!

Hoje, empenhe-se no seu ideal. Em vez de ficar com a mente anestesiada na hipnose da TV, vídeo-games e congêneres eletrônicos, trocando “conversa fiada” num barzinho e “enchendo a cara”, dedique um tempo para si, um investimento na sua alma, no seu destino, no seu futuro, na sua felicidade.

Pinte um quadro, ou deseje, ou escreva uma poesia. Dê aquela caminhada à beira praia, tão protelada. Faça aquela visita do coração, tão necessária. Recomece seus estudos: essenciais. Faça um curso em área diferente da sua, ou leia e pesquise sobre campo de atuação diferente, agregando valores enriquecedores ao seu acervo de conhecimentos, fomentando criatividade e a chamada “hibridização interdisciplinar”, quando idéias e conceitos provenientes de outros âmbitos de conhecimento ou ação fertilizam procedimentos e técnicas na área da atuação que é própria a alguém.

Não acredite na voz do comodismo e da negação dentro de si: lute por seus sonhos (ainda que precise reformulá-los o mudá-los de feição ou endereço), a começar de pequenas coisas, como se disciplinar a uma caminhada diária ou a uma leitura singela, todos os dias. Quem se vence, pode vencer o mundo. Quem não consegue vitória sobre si, não conseguirá nada, nunca, que seja efetivo, que dure verdadeiramente, que transforme profundamente, que felicite integralmente.

Ser feliz é o desafio. Ter prazer, prazer de verdade, o contentamento da alma, a satisfação do espírito, completa, o não entorpecimento dos sentidos e da razão, dá trabalho. A alegria do coração provém de empenho, disciplina e determinação inamovíveis. Ou isso ou o delicioso caos que conduz à morte e a dor – delicioso só no início, tétrico sempre em suas conseqüências, a médio e longo prazos.

A escolha, é óbvio, será sempre sua. Mas se você não sabe adiar gratificações, está em situação mais deplorável que a da criança que não controla os esfíncteres e faz xixi nas calças, por não saber conter o impulso do alívio na bexiga, até chegar ao toilete, ou a do menino rebelde, que quebra a carteira e sai da sala de aula, por não agüentar aguardar pelo momento do recreio. Você já saiu do maternal?




Deixar para trás!!!


Hoje percebi o quanto estou me sentindo sozinha. Bom, maneira bem diferente de começar um blogger mas, é assim mesmo que estou me sentindo. Sozinha, conhecendo muita gente. Tudo superficial, abraços frios, verdades mal contadas ou pela metade. Essa sensação de ser excluída não é nada interessante. Pode até parecer covardia da minha parte, deixarei essa gente toda para trás, começarei vida nova, do zero mesmo, quantos não tiveram essa vontade... Acho que essa atitude seja mais corajosa, nada de promessa de fim de ano, atitude para amanhã mesmo. Cansei de choramingar, viver me lamentando do passado, assim a vida não anda, quero novidades, gente nova, pois ainda acredito que exista gente verdadeira nesse mundo, pode até parecer meio utópico mas, acredito.